Em audiência pública realizada na manhã dessa quinta-feira (31) no Auditório da Prefeitura de Gramado, a Seferin & Coelho, representando a Rede de Hospitais LifePlus, apresentou o plano de ação para a nova administração do Hospital Arcanjo São Miguel (HASM), adquirido no ano passado por R$ 40 milhões. Além de garantir a expansão de especialidades, a oferta de novos serviços e a reestruturação do modelo de gestão vigente do HASM, a LifePlus anunciou um novo e expressivo investimento para a cidade e região: o aporte de R$ 140 milhões a serem aplicados na construção de um novo hospital na cidade nos próximos 30 meses. “Queremos oferecer para a comunidade e para os turistas da região um complexo de saúde para atender as demandas locais, reduzindo drasticamente a necessidade de deslocamento para centros maiores em busca de tratamento”, afirmou o sócio diretor da Seferin & Coelho, Claudio Seferin.  

O plano de ação apresentado ocorre após a execução de um diagnóstico realizado pela Seferin & Coelho para a identificação de áreas do HASM a serem aperfeiçoadas de acordo com as demandas e necessidades específicas da região, considerando seus aspectos demográficos, sociais e econômicos mais atualizados. O trabalho analisou questões como a área de assistência, estrutura física e licenciamentos, além de uma aproximação com o corpo clínico e com os funcionários do hospital. O objetivo da nova administração é manter os serviços atuais, o atendimento pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e ampliar a gama de serviços e especialidades oferecidas à comunidade.

Mais amplo e com novos serviços, o novo hospital estará situado na região da Perimetral, entre o barro Casagrande e bairro Três Pinheiros. “Com serviços de alta complexidade, ampliará a oferta de leitos hospitalares em Gramado, que passará das atuais 98 para 130 leitos para atendimento SUS, particular e por convênios de saúde”, afirma Daniel Coelho, sócio-diretor da Seferin & Coelho.

O novo hospital substituirá a atual sede do HASM. “A localização no centro da cidade gera dificuldade de acesso, o que se agrava em dias de evento. O terreno não permite obras de expansão e a capacidade do estacionamento é insuficiente para atender à demanda hospitalar de médicos, pacientes e visitantes. A nova sede vai facilitar todo o fluxo do hospital e o acesso dos pacientes”, destaca Coelho.

“Nosso objetivo maior é colocar a Serra Gaúcha no mapa nacional da saúde, acompanhando setores já plenamente desenvolvidos na região, como o turismo, a gastronomia, e a hotelaria, por exemplo. Vamos oferecer à comunidade novas soluções, todo um serviço de excelência, com muita ênfase em assistência, infraestrutura e tecnologia”, afirma Seferin. 

 Imagem – divulgação

Deixe seu Comentário